As semanas passam, os dias voam, a terra gira em torno do sol. Uns ganham, outros perdem, a teoria política do zero transborda. Continuamos à viver.. Isso é, continuamos a viver ou aprendemos a sobreviver? Em tantas dificuldades circunstanciais, tanto sofrimento e prazer, até esquecemos a identidade da vida. Não a identidade como ser, como ser social,como sociedade, nem a identidade poética da vida, do ser na vida, mas uma estrita identidade, uma identidade não muito aplicável a qualquer argumentação filosófica, uma identidade não técnica , uma identidade estritamente humanitária. Viver talvez seja um ato egoísta e, até pode ser deplorável se realmente o é, mas se pensarmos de um ponto de vista tão pessimista, não cairemos em mais problemas? claro que se realmente é assim, isso é, viver seja uma luta constante (pelo menos, na situação dada), então temos que pensar na solução. Antes de aceitar o pressuposto pessimista de uma identidade da vida, temos que nos perguntar o que é a vida?; Mas a pergunta, nesse texto, cabe à ir além, isso é, ao lado moral. Uma questão simples: o que nos faz sentir que vivemos e não sobrevivemos? E o que mudar nesse ano ? ou que lutar para mudar?

A questão não é um ensaio nem um tratado, e o texto acima serve apenas para reflexão filosófica, isso é, empatia, questionamento, diálogo, conceito, pensar.. como pode ver, o título é "Feliz ano novo", e o texto, de forma dialética, apenas serve para podermos refletir o que é a vida, como se dá a vida, pra que viver? por quê viver?
Não cabe à mim responder a indagação tão profunda e tão subjetiva, mas não podemos esquecer da subjetividade!!! o ser humano é um ser histórico, que idealiza, que projeta, que tem sonhos, ou pelo menos, assim esperamos...

Eu espero que o próximo ano seja cheio de novidades e, que essas novidades nos deixem viver melhor, e não apenas sobreviver. Que os sonhos de todos os leitores do blog sejam realizados, que encontremos novas fontes de amizade, que o amor nasça para os necessitados e a paz reine para todos.

O ano de 2011 foi o ano mais infeliz da minha vida, não presenciei bons momentos, não tive tanta felicidade quanto o ano de 2010, mas não deixei de ter a grande ajuda de amigos, como Guilherme Marthe, Pedro Gomes, Lucas Stanzani, Lucas Brilhante, Tainá, Giovanna e até reencontrei um grande amigo do passado, o Keppe. Sobretudo, o ano não foi ruim em um todo, pois, foi o ano que mais filosofei, isso é, não se aprende filosofia, aprende-se a filosofar, em outras palavras, foi o ano que mais estudei filosofia e também foi o ano que fui reconhecido pela primeira vez como filósofo (Meu amor pela filosofia vence meu amor à música). Tive grandes reflexões, diálogos, pensamentos, grandes anotações e notáveis discussões filosóficas com o Guilherme Marthe, Ralston,Klaus,Cecília, Leão e muitos outros que valeram muito à pena. O ano também foi marcado, pelo meu gosto exuberado pelo cinema! Grandes filmes, se não os melhores eu cheguei a ver.. Godard, Truffaut passaram a ser os meus diretores prediletos!
Foi um ano, em suma, formado pelo conhecimento, pela maturidade da minha pessoa e pela presença fortemente marcada por amigos e por tremendas horas de stress de estudo e trabalho.

Quanto ao blog, pretendo, voltar a postar com mais quantidade e acima de tudo, qualidade. Pretendo modificar algumas coisas no blog e convidar mais pessoas, fazendo que aumente a qualidade dos posts e melhore também a quantidade de leitores.


Agradeço pelo ano de 2011 à todos que ajudaram no blog,aos meus amigos, ao meu Pai que me incentivou a escrever no blog e a todos que escreveram posts, não me esquecendo aqueles que comentaram também! Acredito que o ano de 2012 terá grandes mudanças positivas nesse blog e espero que gostem!

Quatro músicas de presente:








E por final:




That's how it starts.
We go back to your house.
We check the charts,
And start to figure it out.

And if it's crowded, all the better,
because we know we're gonna be up late.
But if you're worried about the weather
then you picked the wrong place to stay.
That's how it starts.

And so it starts.
You switch the engine on.
We set controls for the heart of the sun,
one of the ways we show our age.

And if the sun comes up, if the sun comes up, if the sun comes up
and I still don't wanna stagger home.
Then it's the memory of our betters
that are keeping us on our feet.

You spent the first five years trying to get with the plan,
and the next five years trying to be with your friends again.

You're talking 45 turns just as fast as you can,
yeah, I know it gets tired, but it's better when we pretend.

It comes apart,
the way it does in bad films.
Except in parts,
when the moral kicks in.

Though when we're running out of the drugs
and the conversation's winding away.
I wouldn't trade one stupid decision
for another five years of lies.

You drop the first ten years just as fast as you can,
and the next ten people who are trying to be polite.
When you're blowing eighty-five days in the middle of France,
Yeah, I know it gets tired only where are your friends tonight?

And to tell the truth.
Oh, this could be the last time.
So here we go,
like a sail's force into the night

And if I made a fool, if I made a fool, if I made a fool
on the road, there's always this.
And if I'm sewn into submission,
I can still come home to this.

And with a face like a dad and a laughable stand,
you can sleep on the plane or review what you said.
When you're drunk and the kids leave impossible tasks
you think over and over, "hey, I'm finally dead."

Oh, if the trip and the plan come apart in your hand,
you look contorted on yourself your ridiculous prop.
You forgot what you meant when you read what you said,
and you always knew you were tired, but then,
where are your friends tonight?

Where are your friends tonight?

4 comentários:

Belíssimo post! Parei para pensar em tudo o que aprendi neste ano. Que você tenha um ótimo ano novo e o blog decole para o sucesso !

Muito bom o seu texto,foi profundo e reflexivo,e melhor ainda foi a indicação da música do los hermanos, essa música muito bonita e suave.

Muito bom!
Mónica

Hey! Estou no post!! ;)
Adorei!!

So' tenho uma ressalva... Se foi um ano dificil, porém com muito conhecimento e amadurecimento, então foi um OTIMO ano!! ;) Não aprendemos nada qd td vai de acordo com nossas vontades... Tive tb um ano beeem puxado, mas no fim, vi que valeu a pena!

Espero que esse ano seja realmente especial para todos nos!! E que ainda nos esbarremos mt por esses caminhos filosoficos.. ^^
Grande Beijo!

About this blog

Blog formado por estudantes abordando temas culturais como cinema, filosofia, música, tecnologia, arte, etc.

Labels

Que tipo de posts mais te interessa ?

Que tipo de filme você mais gosta ?

Search

Blog archive

Google+ Badge

Popular Posts

Ocorreu um erro neste gadget

Blog Archive