Enter the void(2009) é um filme de Gaspar Noé (mesmo diretor de "Irreversível). O filme é francês, mas a maioria das cenas foram feitas no Japão.

Gaspar Noé é um diretor francês intelectualizado, elaborou um dos filmes mais pertubantes que é "Irrerversível", agora na sua recente obra "Enter the void", Gaspar deixou de lado a pertubação pra ir para uma "viajem" à respeito da morte. Enter the void é um filme experimental, trata de indagações humanas, religião, morte, amor, sexo, traumas e drogas. Não afirmo que seja uma crítica à alguma coisa, mas sim experimentação cinemática.

A experiência de assistir esse filme já é uma "viajem", em palavras mais formais, surreal. O filme tem vários detalhes que chamam atenção, desde o roteiro, as imagens, as falas, os personagens, enredo... então vamos por partes.

O enrendo/roteiro do filme é interessante, mas um cético irá provavelmente discordar. Acho interessante a visão do diretor à respeito dos temas abordados no filme, mas confesso que tenho minhas dúvidas( À respeito da vida após a morte).
A filmagem do filme é realista. Cenas em primeira pessoa são raras no cinema, sempre vemos cenas em terceira pessoa. Isso é um destaque não tão inovador, mas um detalhe que faz a diferença.
Frases de filosofia são interessantes em filmes, e algumas vezes, pequenas frases como de alguns filmes(Oldboy, clube da luta, Into the wild) fazem também a diferença. Pois é, Enter the void é cheio de intrigantes frases...
Quanto aos atores, acredito que Gaspar poderia ter escolhido melhores atores...
Uma coisa que chama atenção no filme são as imagens, ela são em resumo, pertubantes, muita luz, muita cor com efeitos irritantes. (Epiléticos não devem ver esse filme.)

Também é um filme relativamente parecido com Trainspotting, não na questão dramática, mas sim em relação as drogas.

Não é um filme para se ver com a parceira(o), com a namorada(o), apesar do drama.

Estilo: "psychedelic melodrama"

Por fim concluo: Muitas cenas de sexo e drogas não fazem você se prender nesse filme, pois, é um filme que tudo acontece lentamente, como se fosse a realidade, apesar da questão surreal, é preciso muita paciência para aguentar 2:35:11 de filme.

Filme digno de cinemacultura.com e caféfilosofia.


Sinopse:O filme conta a história de Oscar e sua irmã. Numa trama não-linear, o filme é elaborado à partir de eventos caracterizados pela morte, drogas e sexo,baseando a história de Oscar, de toda sua vida.
Trailers


Pelo o que eu entendi, o +1 ( ou plus one, mais um) da google é uma ferramenta muito interessante para o compartilhamento de dados na internet.


Seu efeito seria similar ao "curtir" do facebook, porém seria valido para TODA INTERNET.

Sim, bem assustador.

A partir de agora, todo site que vc procurar e colocar um +1 será visto por outra pessoa como recomendado por alguém de sua rede de amigos.

É bem complicado, mas assistam o video, que ficará mais fácil.




uitos vêem no trio Delphic a herança musical da cidade-natal: Manchester.
Misturando o indie rock com a eletrônica, o rótulo de next big thing não os fez perder a confiança. Sempre na sombra dos New Order, conciliam os dois mundos de uma forma orgânica, com a produção do disco a cargo do DJ/produtor Ewan Pearson (que já trabalhou com nomes como os Ladytron, Depeche Mode ou The Rapture).

Com “Counterpoint” e “This Momentary” a gerar o hype na primeira metade de 2009, os britânicos aproveitaram os últimos meses para testar a sonoridade junto do público - até mesmo em palcos nacionais, com a sua actuação no Alive!09. E “Clarion Call” serve de abertura perfeita do disco, preparando os corpos para o território indie dance que junta influências não só da década de 80 como da rave scene e de nomes como os Underworld.

Num trabalho de estreia consistente, vários são os bons momentos para lá do que já se conhecia, com destaque para o crescendo de “Red Lights”, o desvario dos quase 9 minutos de “Acolyte” e o próximo single: “Halcyon”. Para quem nele depositava sérias expectativas, é possível que o álbum não cumpra; para quem sempre olhou de lado para o pedestal onde foram colocados, “Acolyte” é um dos bons discos deste início de 2010.


Vale dizer oque foi mencionado em sua matéria na BBC:

O trio Delphic, de Manchester, ficou ficou em 3º lugar em uma lista da BBC que indica os artistas que devem despontar em 2010.

Mais de 165 formadores de opinião, entre críticos, blogueiros e jornalistas, votaram.

Avesso a definições, o grupo diz que mistura a euforia da dance music com elementos emocionais da música indie, acrescentando uma pitada da “melancolia” de Manchester para criar um estilo próprio.

A filosofia de fusão está retratada no lema do grupo: “A guitarra está morta, viva a guitarra!”

“Queremos ser os anti-Liam Gallaghers”, diz um dos integrante da banda, Rick Boardman, referindo-se aos irmãos à frente da banda Oasis.

No entanto, assim como os irmãos do Oásis, eles também são reconhecidos por suas divergências, sobretudo em consequência de também dividirem o apartamento onde vivem.




About this blog

Blog formado por estudantes abordando temas culturais como cinema, filosofia, música, tecnologia, arte, etc.

Labels

Que tipo de posts mais te interessa ?

Que tipo de filme você mais gosta ?

Search

Blog archive

Google+ Badge

Popular Posts

Ocorreu um erro neste gadget

Blog Archive