O que é filosofia?

Desde que a filosofia começou, esta pergunta é feita e refeita, e recebe 1001 significados, ao decorrer dos séculos e milênios de sua existência. A própria filosofia pergunta-se sobre usa identidade, sua origem, o conceito que a representa. E não é uma pergunta fácil. Através dos mais de dois mil anos de filosofia, duas opiniões sobre o que é filosofia foram defendidas. Uma antagoniza a outra.
A primeira, é a de que filosofia é ruptura com o mito. A filosofia começa quando deixa-se o mito de lado para argumentar racionalmente e logicamente as coisas. Não mais os poemas teogônicos ou as obras de Homero seriam a base do pensamento. Agora teríamos a filosofia, uma ruptura total com o antigo modo de pensar, desatualizado e disfuncional, dos antigos.
A segunda, consiste em dizer que a filosofia é herança. A filosofia continua a tratar dos assuntos que os mitos tratavam, continua a usar dos mitos para provar teorias ou conceitos, mas se alia à razão. Segundo estes, a filosofia só é uma mudança em alguns fatores, mas continua a se falar como se falava.
Para muitos, a segunda tese é incabível, aliás a filosofia é a luta contra o senso comum, a busca pelo saber, que se sabe que não tem, o amor à sabedoria. A filosofia rompe com o mito, com o senso comum. A filosofia pensa apenas no que é racional e lógico.
Não é bem assim. Acho que as duas teses têm razão. A filosofia é consistida de heranças e rupturas. A filosofia não é algo à parte, que não se assemelha em nada com a Teogonia de Hesiodo ou Ilíada de Homero. Pensemos nos fragmentos de Parmênides. O poema, principalmente o primeiro fragmento, é mítico Menciona-se deuses, portões míticos... No texto original, se lermos, veremos o número absurdo de personagens míticas. E Parmênides é considerado filósofo. Aliás, um dos maiores filósofos e mais importantes na história da filosofia. Outro que se apropria do mito é Platão. A teoria das ideias é bastante mítica. E a discussão que há dos pré-socráticos à Aristóteles é a mesma que havia nos pré-socráticos. Haverá um ser, que nada causou e que é a causa de tudo? Do mesmo jeito que Hesiodo responde através da Teogonia, Platão responde através da Teoria das Ideias.
Então, a filosofia é apenas mito? Não, a filosofia tem algo de diferente, algo que a torna única.
A filosofia se apropria dos mitos, para valorizar a razão. É fácil perceber isso ao lermos o sétimo fragmento de Parmênides, onde a "deusa", após dizer-lhe a "verdade", pede para que tudo o que fora ouvido seja julgado com sua razão.
A filosofia se consiste de heranças e rupturas.
Filosofia seria o pensamento universal, a razão universal, a teoria universal. Pensar filosoficamente sobre algo, por exemplo, o conhecimento, é pensar os fundamentos do conhecimento humano, mesmos fundamentos que ocorram no oriente ou no ocidente, na Grécia ou na Alemanha. Pensar filosoficamente é como parar de caminhar e pensar porque se caminha. É fazer uma reflexão, é pensar. Aliás, quando se lê um texto filosófico, é mais importante pensar e refletir do que compreender o autor, pois um filósofo escreve mais para fazer pensar do que para ser compreendido e aceito.

About this blog

Blog formado por estudantes abordando temas culturais como cinema, filosofia, música, tecnologia, arte, etc.

Labels

Que tipo de posts mais te interessa ?

Que tipo de filme você mais gosta ?

Search

Blog archive

Google+ Badge

Popular Posts

Ocorreu um erro neste gadget

Blog Archive