Depois de algum tempo sem fazer críticas e realmente sem postar nada aqui no blog, resolvi voltar à atividade. Devo também avisar que agora este blog tem a missão de postar críticas dos filmes do http://cinemacultura.blogspot.com quer dizer é o que eu vou tentar fazer..
Dos filmes que eu assisti nas férias, confesso que não foram poucos, esses três filmes merecem destaque, "Black Swan" um drama psicótico com fotografia muito excelente, "Lellebelle" um filme engraçado que ao mesmo tempo mostra como o cinema europeu é diferente e mais liberal e por último uma obra prima que está nos cinemas, "O discurso do rei".

Vamos começar pelo filme "Black Swan", na tradução, "O cisne negro". Dirigido por Darren Aronofsky( O mesmo diretor de "The Wrestler") e como atriz protagonista Natalie Portman.

O filme narra a história de uma bailarina que sonha em se apresentar em uma obra prima da música clássica, mas uma obra prima em que ela precisa interpretar duas bailarinas ao mesmo tempo, uma pura, simples, boa, humilde e principalmente frágil e a outra como o oposto da "pura", em outros termos, cisne branco, cisne negro.

Você deve estar se perguntando, por que diabos eu postei esse filme aqui? A primeira das minhas possíveis respostas que me vem à cabeça, é o fato do filme ser um thriller muito bem feito, uma dramática ao mesmo tempo que intriga, deixa você confuso e que por sinal, você pode ou sair do filme sem entender nada, ou com muitas interpretações, até poderia dizer é um filme que deixa você interpretar da maneira que você quer, um filme até Niilista.
Trailer:





No nosso segundo filme, temos Lellebelle, um filme de Mischa Kamp, com a Anna Raadsveld, Benja Bruijning, um filme de língua holândesa.
Filme não muito cult e sem quase nenhuma lição moral, ou filosofica, só está aqui por ter uma ótima trilha sonora que mistura música clássica, como concertos de Bruch, partitas de Bach, até mesmo The XX, Gnarls Barkley e muito violino.
Fica a dica pra quem gosta de música e pra quem quer dar umas risadas.


O discurso do rei, ou em outras palavras, The King's Speech, um filme inglês de Tom Hooper, com as estrelas Colin Firth, Helena Bonham Carter, Geoffrey Rush, Michael Gambon.

George VI (Colin Firth), conhecido como Berty, assume, a contragosto, o trono de rei da Inglaterra quando seu irmão, Edward (Guy Pearce), abdica do posto em 1936. Despreparado, o novo rei pede o auxílio de um especialista em discursos, Lionel Logue (Geoffrey Rush), para superar seu nervosismo e gagueira. Com o tempo, tornam-se amigos.

Esse filme que eu não esperava tanto, foi até agora, um dos melhores filmes que eu já assisti nesse ano, em primeiro lugar, tem uma ótima trilha sonora (levo muito isso em conta), tem ótimos atores, um drama que mistura uma pitada de comédia, com uma boa lição de vida e moral de alguma maneira filosófica e mostra a capacidade humana.

Um filme que qualquer um pode ver na minha opinião, sem muitas críticas nesse filme genial, vamos ao trailer:

1 comentários:

Dos três, só falta Lellebelle, já que indicastes para assistir, assistirei, brigadão, os outros 2, ótimos filmes.

gil.pandolfo@gmail.com

About this blog

Blog formado por estudantes abordando temas culturais como cinema, filosofia, música, tecnologia, arte, etc.

Labels

Que tipo de posts mais te interessa ?

Que tipo de filme você mais gosta ?

Search

Blog archive

Google+ Badge

Popular Posts

Ocorreu um erro neste gadget

Blog Archive